Poema Gilson Cavalcante
Foto: Lucas Vital

O menino que rodopiava dentro de nós

Desata os ventos e o retrós

Que nos desafia no trapézio

Sobre os abismos

E nos ata em assovios breves

Convocnado passarinhos

Sobre a tessitura da ala leve

Dos brincantes.

E o pião roda, roda roda

Como um gerúndio

Na eternidade do que arde,

Do que anda, endo, indo,

Sob as circunstâncias da lona

Alone again, a memória do que somos

Debaixo de um céu de oz.

Silêncio que o sorriso é o aplauso

De um tempo que se faz presente.
Família Santiago Santos_ETISueli Reche_foto_Lucas Vital

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

clear formComentar